Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
AGORA e a religiao
#1
[Imagem: Agora+Movie+French+Poster%5B1%5D.jpg]

Não, o filme não é anti-cristão, foi tudo o que consegui dizer a um amigo anglicano que comigo assistiu às duas horas do Ágora, só agora acessível em Banguecoque. A queda do Mundo Antigo às mãos da canalha iletrada e violenta atiçada por fundamentalistas tomados pelo "fogo divino" é uma brilhante metáfora ao poder caído na rua, ao triunfo da irracionalidade e da vitória sem apelo da massa selvagem contra tudo o que desconhece: a sede de conhecimento, a cultura como segunda natureza humana e a liberdade de buscar e interrogar.

A matemática e filósofa neo-platónica Hipátia foi vítima de uma revolução que convulsionou e destruíu violentamente os fundamentos da civilização greco-latina. Estranho, pois tudo aquilo fez-me lembrar Bin Laden´: o mais grosseiro semitismo desses "antropófagos do deserto" (Voltaire) que foi característica marcante das seitas milenaristas e terroristas judaicas, dos nazarenos exaltados que queimaram, vandalizaram e destruiram os grandes santuários e bibliotecas, passaram pela espada ou lapidaram vestais e sacerdotes, mas também o islão da "guerra santa" e do "destruam todos os livros, pois todo o conhecimento que interessa está todo contido neste livro do Corão" (Omar).
A religião é coisa perigosa, sem dúvida, porque a alegria que distribuiu àqueles que da felicidade, do amor, da paciência e da heroicidade nada sabem, só encontra expressão na interdição, no castigo, na crueldade e na alienação de quem levanta o braço homicida impelido pelo deus iracundo vetero-testamentário. Conheci muitos católicos que, se o não fossem, inibidos pelo medo e pela punição, seriam notórios facínoras e delinquentes comuns. No fundo, o sagrado, em todas as suas expressões e cambiantes, é coisa acessível a muito poucos. A generalidade das pessoas, não possuindo vida interior, esgota-se psicosocialmente. Sente-se forte na multidão, vinga-se da pequenez e da insignificância escondendo-se atrás de Deus, matando em nome de Deus, odiando em nome de Deus e até falando pela boca de Deus.
Compreendo agora por que razão livros do Antigo Testamento foram proibidos durante a Idade Média. A Igreja - hierarquia, funcionalismo, elite - acabou por domar a fera do "povo chão", obrigá-lo a respeitar Aristóteles e Platão, respeitar a arte de Roma, as instituições de Roma, os códigos e até a polícia. Foi a Igreja, por fim, quem preservou in extremis a civilização.
No mundo protestante, a tal "reforma" foi um retrocesso às fontes cavernícolas do paleo-cristianismo. Nunca tantas mulheres foram queimadas por bruxaria, nunca tanto livro reduzido a cinzas e nunca tantos homens açoitados e mortos como durante os séculos XVI e XVII nessa Holanda da liberdade ou na Genebra de Calvino. Hoje, nos EUA do puritanismo, o "partido cristão" é uma tremenda força. Dizem-me pessoas que vivem essa realidade que nos EUA se está permanentemente sujeito à turbamulta que de Bíblia na mão invade universidades, pede o encerramento dos laboratórios, impede a distribuição de filmes e livros "sacrílegos". Como podemos condenar o Islão radical se, entre nós, gente há que pede o mesmo receituário ?

O poder popular é coisa que deve meter medo ao mais temerário. Quando o "bom povo" extravasa e dá largas à alegria da destruição, não há nada que o possa conter. Foi isso que vi no Ágora.
There's no stoppin' what can't be stopped, no killin' what can't be killed. You can't see the eyes of the demon, until him come callin'...
Responder
#2
Eu vi o filme à uns tempos... e realmente dá que pensar. Os senhores do Vaticano não devem ter gostado nada deste Smile
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#3
Por acaso quero bastante ver este filme, se bem que aposto que vou ficar meio deprimido no fim.
"Being based on history, the stages of the game will also be based on battles which actually took place in ancient Japan. So here's this giant enemy crab..."
Responder
#4
Tenho esse filme cá em casa há muito tempo, mas ainda não consegui arranjar paciência para o ver.
qualquer dia talvez
[Imagem: n3taar.gif]
Responder
#5
Realmente é de ficar deprimido no final.... a ciência perde a favor da religião, uma vez mais.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)