Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Livros preferidos
#26
Kanzentai Escreveu:e isso deve-se a alguém deste fórum, ou é curiosidade pessoal? Tongue

Eu posso partilhar com voces uma dica que uma certa pessoa destes foruns partilhou comigo:
http://www.google.com/search?octopus+liv...bestiality
Responder
#27
I see the blue underlined letters... I know it's a link to another site...

but I will NOT press it Tongue
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#28
Cobaia Escreveu:Eu posso partilhar com voces uma dica que uma certa pessoa destes foruns partilhou comigo:
http://www.google.com/search?octopus+liv...bestiality

A continuar assim temos de criar uma secção específica aqui no fórum só para este tema. Tongue
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#29
Pessoal, stay on topic, please. A conversa já não tem a ver com livros de fantasia e ficção científica há muito tempo.
"Being based on history, the stages of the game will also be based on battles which actually took place in ancient Japan. So here's this giant enemy crab..."
Responder
#30
É realmente uma triste tendência demonstrada pelos outros participantes nas discussões em que se baseiam as ditas "threads"...
Tenho a dizer que gostava de ler:
- Drácula;
- O Fantasma da Ópera;
- A Bela e o Monstro (o conto original, não o da Disney, portanto);
- A Metamorfose e o Processo;
- Os livros pilar das grandes religiões do mundo (Tora, Bíblia, Corão, os escritos hindus, budistas, xintuístas e talvez também os confucionistas;
- Kama Sutra (livro com uns 20x10, versão 99% texto Tongue)
- Pelo menos um do Oscar Wilde;

Não me consigo recordar, de momento, de mais nenhum... logo aparecerá alguma coisa.[/url]
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#31
Compreendo que já não se fale aqui há mmmmmmuito tempo, mas mesmo assim, agora que vi isto posso dizer que já li:

- O Fantasma da Ópera, é bastante bom, de Gaston Leroux
- A Guerra dos Mundos (mais aborrecida que a história do filme, mas mesmo assim muito bom), de H.G. Wells
- A Máquina do Tempo, também de H. G. Wells, bem giro.
- Sandokan o Tigre da Malásia (já não me lembro bem, foi há muito tempo, mas acho que gostei), já não sei quem escreveu
- Oliver Twist, é assim-assim, o Dickens não escreve mal
- Ilha do Tesouro há muito muito tempo (mas não o original de Robert L. Stevenson)
- O Cão dos Baskervilles, do Sir Arthur Conan Doyle, excelente
- Outras aventuras do Sherlock
- Crime no Expresso do Oriente, Mistério dos Sete Relógios e Encontro com a morte, todos da Agatha Christie
- Dicionário de Língua Portuguesa Contemporânea da Academia de Ciências de Lisboa (um tanto ou quanto repetitivo), de vários autores

No fundo, uma data de clássicos, alguns de uma colectânea do Público, que veio mesmo a calhar.
If you don't stand for something, you'll fall for anything
Responder
#32
Hello people... ao fim de tanto tempo, lembrei de por aqui aparecer. E como ultimamente tenho gasto fortunas :shock: em livros.. posso falar dos que comprei recentemente...

Luz na Neve (da senhora Anita Shreve): drama de um pai e filha que encontram um bébé abandonado à sua sorte no meio da neve. Não vale a pena... muito tocante, mas definitivamente não muito empolgante.

Sete Dias Para a Eternidade (de Marc Levy): "Apadrinhada por Michael, que a considera a melhor agente da Central de Inteligencia dos Anjos, Zofia é convocada ao gabinete do Senhor, recebendo a missão de vencer o Mal que impera na terra num prazo de sete dias. Ao mesmo tempo que Zofia recebe a sua tarefa, Satanás dá a Lucas o mesmo periodo de tempo para erradicar o Bem do planeta. (...)". Este está uma moca... li-o aí numas seis horas seguidinhas. O desfecho então..

Queimada Viva (Souad): Um documentário muito forte por parte de uma cisjordana que é queimada viva segundas as leis rigidas de uma civilização retrogada. Vale a pena... para quem aprecia o genero.

Bem.. e foram estes os que li nas duas ultimas semanas. A Conspiração do Dan Brown já ali está direitinha para eu a ler. Espero que seja tão boa como os anteriores.
Um destes dias experimento ler uma biografia. Talvez uma como a do Belmiro de Azevedo. Dizem que é uma leitura interessante.

Divirtam-se.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#33
"A Conspiração" = "Deception Point" = Dizem que é o pior dos 4 dele
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#34
psenes Escreveu:Sete Dias Para a Eternidade (de Marc Levy): "Apadrinhada por Michael, que a considera a melhor agente da Central de Inteligencia dos Anjos, Zofia é convocada ao gabinete do Senhor, recebendo a missão de vencer o Mal que impera na terra num prazo de sete dias. Ao mesmo tempo que Zofia recebe a sua tarefa, Satanás dá a Lucas o mesmo periodo de tempo para erradicar o Bem do planeta. (...)". Este está uma moca... li-o aí numas seis horas seguidinhas. O desfecho então..

Este resumo realmente desperta a curiosidade. Smile


psenes Escreveu:Queimada Viva (Souad): Um documentário muito forte por parte de uma cisjordana que é queimada viva segundas as leis rigidas de uma civilização retrogada. Vale a pena... para quem aprecia o genero.

Retrógada? Se calhar bem que o mereceu... quem te diz a ti que ela não foi leviana ou coisa assim? Só não percebo é como ela ainda consegue fazer o documentário depois de ter sido queimada.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#35
Já ouvi falar desse livro "Queimada Viva" num trabalho de português que fiz no ano passado. Não é só aquela rapargia que é "queimada viva", é toda e qualquer mulher que ponha em causa a honra da família. Para restaurar a honra da mesma, matam-na. Simples.

E admira-me que ninguém tenha feito referência ao 'REAL Ultimate Power'.
If you don't stand for something, you'll fall for anything
Responder
#36
Shadow Dragon Escreveu:Já ouvi falar desse livro "Queimada Viva" num trabalho de português que fiz no ano passado. Não é só aquela rapariga que é "queimada viva", é toda e qualquer mulher que ponha em causa a honra da família. Para restaurar a honra da mesma, matam-na. Simples.

Sim, realmente para quê complicar? Só ainda não consegui perceber foi se a mulher escreveu o livro antes ou depois de ser morta.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#37
Foi obivamente depois de ter sido morta, senão, em vez de factos, seria apenas especulação e aí não venderia nada. A burocracia para a publicação é que deve ter sido bem mais chata.

Piada seca: Lá na terra dos anjinhos, conseguiu publicar o livro, cortesia das edições 'ASA'.

... eu disse seca? queria dizer árida
If you don't stand for something, you'll fall for anything
Responder
#38
Shadow Dragon Escreveu:Foi obviamente depois de ter sido morta, senão, em vez de factos, seria apenas especulação e aí não venderia nada.

Pois, o que eu não percebo é como ela conseguiu escrever o livro depois de reunir os factos. Seria de esperar que uma coisa impedisse a outra.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#39
Desiludiste-me ò nobre rufferto das arábias. Ser queimado vivo é algo que a gente não deseja nem ao pior inimigo.

A Souad é uma miuda de 19 anos que conta que para ela anormal era o dia em que não era espancada. Ser mulher na terra dela é ter estatuto abaixo de cão. São escravas desde o dia em que nascem. Ela conta que a mãe dela matava todas a crianças do sexo feminino que tinha. E vê lá... das 14 gravidezes que teve, só sobraram aí uns 4. Uma das irmãs é inclusivé esganada com um fio de telefone pelo irmão. E são livres de o fazer, porque ninguém os condena. É um relato profundamente triste.

Ela é encharcada em gasolina e queimada pelo cunhado porque tomou liberdades antes do casamento com o homem que ia ser o marido dela. Estava grávida de uns 7 meses quando lhe fizeram aquilo. E como fugiu para a rua em chamas, acabaram por leva-la para o hospital onde a mãe dias depois tenta terminar o serviço envenenando-a. Felizmente ela tem a sorte de uma dessas missionárias a conseguir tirar daquele país e leva-la, a ela e ao filho, para a suiça, onde faz umas 27 operações para apenas sobreviver. Tudo a partir daí é um relato de uma sobrevivente no mundo ocidental com o corpo deformado. Chocante...

Estava a contar que a Conspiração fosse fixe. Mais valia se calhar ter comprado o Codex do jornalista da RTP1. Enfim...
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#40
Eu disse o que disse sem ter lido o livro, é um facto que o Brown abusa ligeiramente da Winning Formula que conseguiu arranjar, mas os 3 dele que já li são bastante interessantes (Angels&Demons foi, para mim, o auge dele).

Quanto às labaredas em chamas, acho que há pouco a dizer: pouco.

Continuando, eles queimam, elas ardem, os putos batem nas... miúdas, as levianas devem emigrar, porque sê-lo nesse país é fo-... lixado.

Estamos a falar de uma planta bem enraizada, com raízes quadradas, cúbicas e até de índice 4! Não é de um momento para o outro que vai mudar, e com toda a mania do "proteger as várias culturas" acredito que haja alguma convenção que impeça uma "taskforce" de intervir... aliás, pelo que escreves, eles haviam de dizer que gostavam de como as coisas estavam, homens e mulheres (casadas), que eles se fossem meter na vida deles, etc.

The only solution would be to nuke their ass to hell, otherwise there'd be too much backlash. Era introduzir uma ogiva daquelas bem potentes lá no meio, em nome do governo do sítio ou de uma qualquer facção terrorista fanática (que, convenhamos, deve ser o equivalente aos clubes de futebol lá no sítio) mais avantajada.
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#41
Se fossemos a exterminar toda a gente estúpida, lá se ia a humanidade...
"Being based on history, the stages of the game will also be based on battles which actually took place in ancient Japan. So here's this giant enemy crab..."
Responder
#42
psenes Escreveu:A Souad é uma miuda de 19 anos que conta que para ela anormal era o dia em que não era espancada. Ser mulher na terra dela é ter estatuto abaixo de cão. São escravas desde o dia em que nascem. Ela conta que a mãe dela matava todas a crianças do sexo feminino que tinha. E vê lá... das 14 gravidezes que teve, só sobraram aí uns 4. Uma das irmãs é inclusivé esganada com um fio de telefone pelo irmão. E são livres de o fazer, porque ninguém os condena. É um relato profundamente triste.

É a cultura deles... para nós pode parecer absurda e outras coisas mais, mas se lá fôssemos tentar impor a nossa (sem dúvida melhor) haviam de se revoltar todos contra nós. É como aquilo da mutilação feminina, uma pessoa acha isso tudo muito chocante, coitadas das raparigas e tudo o mais, mas depois quando elas crescem vão fazer a mesma coisa às filhas. Nos sítios onde o governo proíbe isso, fazem-no às escondidas. O mundo está mesmo cheio de gente doida.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#43
Nesse aspecto tem razão. Aquele pessoal já está tão habituado a que as coisas se passem assim, que dificilmente mudam. No entanto, continua a ser dificil aceitar que tratem assim as mulheres por lá.

O mais engraçado naquilo, é que mesmo apesar da vigilancia estrita, a mãe da Souad consegue trair o marido, bem no meio das cabras com a filha a vigiar. Aquele pessoal gosta de brincar com o fogo Smile

Mas reparem que ainda à umas decadas atrás a população feminina neste país não era melhor tratada. Felizmente que a coisa evoluiu. E acho que o sexo masculino só ficou a ganhar.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#44
psenes Escreveu:Nesse aspecto tem razão. Aquele pessoal já está tão habituado a que as coisas se passem assim, que dificilmente mudam. No entanto, continua a ser dificil aceitar que tratem assim as mulheres por lá.

Para mim o melhor exemplo destas diferenças civilizacionais foi o que vi uma vez numa reportagem sobre isso da mutilação feminina. Disseram a umas mulheres lá para esses lados que nas grandes cidades as raparigas não eram excisadas (acho que é este o termo), ao que elas responderam algo do tipo "A sério? E não se tornam levianas?". Cada cultura é como é, não nos compete a nós tentar mudá-los. Tudo o que temos de fazer é impedir que essas parvoíces cheguem até nós.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#45
Também não é bem assim. Imagina que tinhas uma irmã que era espancada pelo marido, e que tal como acontece com muitas mulheres por esse mundo fora, elas acabam por deixar-se se espancadas ou por medo ou porque tem um amor irracional a esse homem. Não interferias? Ou simplesmente pensavas que desde que não fosse nada contigo, tudo bem.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#46
I do have a sister, and I think I'd probably do something to the scumbag I might come to regret later (in legal terms, though, not moral).
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#47
psenes Escreveu:Também não é bem assim. Imagina que tinhas uma irmã que era espancada pelo marido, e que tal como acontece com muitas mulheres por esse mundo fora, elas acabam por deixar-se se espancadas ou por medo ou porque tem um amor irracional a esse homem. Não interferias? Ou simplesmente pensavas que desde que não fosse nada contigo, tudo bem.

Nesse caso era eu próprio que lhe dava mais uns tabefes. Essas mulheres que se fartam de apanhar dos maridos mas que depois vão no choradinho deles e acreditam que eles não o voltam a fazer (isto repetido n vezes) também não são boas da cabeça e não merecem melhor sorte. Não se pode ajudar quem não quer ser ajudado.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#48
Bem... ainda assim, é um belo livro para se ler.

De todos os livros que li até agora... e ainda foram alguns, destaco As Minas de Salomão. Acho que foi o primeiro que me fez ficar acordada para ler. O mais chato e o que me levou mais tempo a ler foram As Cidades e as Serras. O Eça de Queiroz de vez quando consegue ser exasperante.

Anjos & Demonios... sem duvida o melhor do Dan Brown. Ainda que fique um pouco violento lá para o fundo. O que eu ainda não consegui descobrir é porque é que chamam romance àquele tipo de livro. Ora... a minha definição de romance não deve ser a mesma para os editores.

O mais picante... tirando o kamasutra, acho que foi um de uma autora chinesa. Realmente aquele pessoal é pior que os coelhos. Ou então aquele do Hemingway... que fala de um casal em que a mulher é que faz de homem...

O mais chocante? Talvez o Malicia e o Um Longo Caminho para Casa da Danielle Steel. Esses sim.... CHOCANTES!!

De serial killers... bem, não tenho grande repurtório deles.. talvez o És Minha da Mary Higgins Clark.

Falam muito do Metarmofose.. eu cá achei-o uma grande seca. E... será que por sermos portugueses temos de gostar dos lusiadas? :roll:
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#49
psenes Escreveu:O mais picante... tirando o kamasutra, acho que foi um de uma autora chinesa. Realmente aquele pessoal é pior que os coelhos. Ou então aquele do Hemingway... que fala de um casal em que a mulher é que faz de homem...

O pessoal para aqueles lados é todo tarado... os chineses tiveram o Império dos Sentidos, os japoneses têm o Hentai, os indianos tiveram o Kamasutra, etc. Tarados! Tongue

psenes Escreveu:Falam muito do Metarmofose.. eu cá achei-o uma grande seca. E... será que por sermos portugueses temos de gostar dos lusiadas? :roll:

Eu achei a Metamorfose excelente, mas para mim a obra-prima do Kafka ainda é o Processo. Ambos os livros lidam com o absurdo, basta ver que na Metamorfose quando o Gregor Samsa acorda transformado num insecto gigantesco os primeiros pensamentos dele ainda são de ir apanhar o comboio para o trabalho. E a transformação nem sequer chega a ser explicada, ele simplesmente deita-se como humano e acorda como insecto. O que pode acontecer a qualquer um, diga-se de passagem. Quanto aos Lusíadas, é um livro épico e de época. Está escrito numa linguagem que hoje é extremamente difícil de perceber, e como tal torna-se difícil gostar muito dele.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#50
Ainda só li umas 70 paginas da Conspiração. Até agora até está a ser interessante. Quanto mais não seja pelo facto de esta vez ser uma personagem feminina como peça central. E desta vez não temos nenhum homem assassinado com com gravuras no corpo Smile

Talvez não seja tão bom como os outros pelo facto de não abordar temas tão "catolicos". Afinal de contas, toda a gente gosta de uma teoriazita de conspiracão. But lets wait and see.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)