Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
O harém do sultão
#1
No outro dia comprei "O harém do sultão" enquanto andava a passear-me pelo hiper... desde já que nunca tinha comprado um tão caro.

Bem... mas como tenho uma inclinação para a cultura arabe (nem sei porque... dá vontade de os esganar a todos Tongue), e como o titulo me chamou à atenção, acabei por trazer o livro para casa. É um romance de época e retrata o quotidiano do sultão Solimão. Diz algures aqui, que o romance é baseado em relatos reais.

E mais uma vez se confirma que os homens são um especimem intratavel. Até fico parva com as coisas que leio... 300 mulheres para um só homem?? Bem... e isso não é o pior! Basicamente as raparigas eram compradas e escravizadas e a sua rutina consistia basicamente em se manterem limpas até que o seu senhor as viesse reclamar. Ás vezes iam para ao fundo do rio, dentro de um saco cheio de pedras...

Olhem-me só esta passagem: " (...). Afinal de contas, não passava de uma mulher, e as mulheres, pelo menos assim lhe ensinara o sheyhulislam, não tinham alma como os homens. Pelo contrário, estavam ao mesmo nível dos cães e dos gatos."

Sério... isto dá vontade de os esganar, fuzilar, faze-los em pedaços ou simplesmente capa-los como acontece ao longo do livro. E no entanto, esses especiméns são completamente ludibriados pelas mulheres...

Comprem e leiam o livro... está absolutamente fantástico. E não é só... tem lá passagens bem ao gosto de um certo cão que a gente cá conhece.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#2
Há de ser interesante de ler sim.
[Imagem: n3taar.gif]
Responder
#3
psenes Escreveu:Até fico parva com as coisas que leio... 300 mulheres para um só homem??

O ano tem 365 dias, mas suponho que também seja preciso descansar de vez em quando.


psenes Escreveu:Bem... e isso não é o pior! Basicamente as raparigas eram compradas e escravizadas e a sua rutina consistia basicamente em se manterem limpas até que o seu senhor as viesse reclamar.

Queres vida mais despreocupada do que essa? Não se precisam de preocupar com trabalhar, pagar impostos e essas coisas. Acho que manterem-se lavadas não é um sacrifício assim tão grande.


psenes Escreveu:Ás vezes iam para ao fundo do rio, dentro de um saco cheio de pedras...

Isso se calhar era com as que não se queriam lavar... assim tomavam banho à força, que a higiene é muito importante.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#4
Pelo contrário... o sultão tinha 300 mulheres, mas apenas de duas se serviu. Uma... porque foi a sua primeira e a segunda, porque nunca mais a conseguiu esquecer, era totalmente dependente dela... tens que ter em conta que nós mulheres, temos as nossas armas Smile

Assim, ficavam 298 mulheres no hárem... a tomarem os seus banhos diários, a tecerem e a cozinharem... na esperança que um dia o seu sultão as escolhesse para o servirem. E isto... apenas porque ser amante do sultão, implicava maiores regalias.

Mas assim permaneceram... 298 mulheres num hárem a consolarem-se mutuamente.

Isto já me faz lembrar aquele filme chamado "Kamasutra - a tale of love"... é bastante parecido.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#5
psenes Escreveu:Assim, ficavam 298 mulheres no hárem... a tomarem os seus banhos diários, a tecerem e a cozinharem... na esperança que um dia o seu sultão as escolhesse para o servirem. E isto... apenas porque ser amante do sultão, implicava maiores regalias.

Mas assim permaneceram... 298 mulheres num hárem a consolarem-se mutuamente.

E queres tu vida melhor que isso? Ficar sem trabalhar o resto da vida não me parece assim tão mau...
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#6
Acabei de ler... aqui fica um resumo:

Solimão, o Magnifico... considerado o maior sultão de todos os tempos. Entre os seus feitos, contam-se inumeras conquistas, construções arquitectonicas de grande beleza e também um inovador sistema de leis. Amou a sua primeira Kadin, de quem teve o seu primogénito Mustafá, aos quinze anos. Um homem de grande inteligencia, mas que mesmo assim, foi cair nas redes de uma pequena russa, que o enfeitiçou para o resto dos seus dias. Por ela, abandonou o seu hárem de 300 mulheres, assassinou o seu melhor amigo e também o seu filho primogenito.

A "pequena russelana", a kadin favorita do sultão, Aquela Que Ri. Jurou vingança ao sultão e aos turcos pela sua condição de escrava. Aproveitando-se da desgraça de outros, conseguiu chegar à cama do sultão, onde o seduziu com as suas artimanhas. Dos três filhos que teve, foi com o primeiro que conseguiu "amarrar" definitivamente o sultão, e no entanto era o unico entre eles todos, que não era realmente filho de Solimão, e sim do chefe dos eunucos, a quem mais tarde mandaria assassinar. Conseguiu tudo aquilo a que se propôs, até o seu casamento com o sultão, coisa inédita naqueles tempos. Foi apenas no final da sua vida, que revelou o ódio que sentia por o sultão e deu a sua cartada final, dizendo ao seu senhor, que dos dois filhos que lhe restavam, o segundo era de outro homem, quando na realidade era o que realmente era dele. Consumido pelo seu inferno pessoal, Solimão manda assassinar o verdadeiro e ultimo filho dele... deixando o trono a um bebado, filho da sua Kadin com o chefe dos eunucos, que gostava de se fingir de touro e "montar" as manadas de escravas que se mexiam em quatro patas pelas salas do palácio.

Julia, a veneziana catolica, que se apaixona por um mouro. Apanhada pelo seu pai, é espancada brutalmente e levada a um convento até chegar a hora do seu casamento com um homem influente de veneza de 60 e muitos anos. É apanhada anos mais tarde, pelos piratas turcos em pleno mediterraneo e levada até ao harém de Solimão, onde encontra, sem se aperceber, com o mouro por quem se apaixonara anos atrás. É no harém que descobre o seu amor por outra mulher, de quem mais tarde viria a ser amante. Entretanto, é levada até à cama do sultão, que impotente devido às infusões da "pequena russelana", ordena num ataque de raiva, que a atirem ao Bosforo dentro de um saco cheio de pedras. Julia é salva da morte, pelo melhor amigo do mouro que agora não reconhecia... e é finalmente desflorada por este, com quem contrai mais tarde casamento.

Abbas, é o mouro que se apaixonou por Julia e que devido a esta paixão, acaba capado e vendido como escravo. Torna-se chefe dos eunucos, o guardião do harém, e é o peão das conspirações Daquela Que Ri. Torna-se obeso e sofre com o desejo pelas mulheres, que nunca mais poderá ter. Protege Julia, o seu grande amor, até que teve a oportunidade de se vingar do homem que o condenou àquela situação, Gonzaga, um dos mais influentes homens em veneza. No final, une-se à "pequena russelana" na sua vingança contra os turcos, impedindo que o filho dela com o anterior chefe dos eunucos, não sobreviva a qualquer atentado, e se torne o sultão.

Acreditem... o livro está demais. Recomendo-o a 100%.
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#7
Muito bem. Hei de o arranjar sim Smile
[Imagem: n3taar.gif]
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)