Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Poesia
#1
Ignorantes como vocês são, sinto-me na obrigação de vos cultivar. Eis aqui então uma secção sobre poesia, que começa naturalmente com Florbela Espanca:


Amiga

Deixa-me ser a tua amiga, Amor;
A tua amiga só, já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor
A mais triste de todas as mulheres.

Que só, de ti, me venha mágoa e dor
O que me importa a mim?! O que quiseres
É sempre um sonho bom! Seja o que for
Bendito sejas tu por mo dizeres!

Beija-me as mãos, Amor, devagarinho...
Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho...

Beija-mas bem!... Que fantasia louca
Guardar assim, fechados, nestas mãos,
Os beijos que sonhei prà minha boca!...
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#2
Do MUITO pouco que aprendi sobre Florbela Espanca, sei que ela casou umas 4 ou 5 vezes, e morreu divorciada... a mulher tinha um ou outro tique, e nem me lembro de nenhum poema dela. Aliás, nem uma aula cheguei a dar sobre essa senhora Tongue

Este ano foi só Cesário Verde, Fernando Pessoa, Heterónimos do mesmo, Mensagem (também dele), "Aparição" do Vergílio Ferreira, "Felizmente há Luar" de um tal Luís de Sttau Monteiro, Sophia de Mello Breyner Andresen e Miguel Torga Tongue
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#3
Had I the heavens' embroidered cloths,
Enwrought with golden and silver light,
The blue and the dim and the dark cloths
Of night and light and the half-light,
I would spread the cloths under your feet:
But I, being poor, have only my dreams;
I have spread my dreams under your feet,
Tread softly because you tread on my dreams.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#4
Essa do "felizmente há luar"... é que é um pouco chato. Quando dei isso... até ao teatro a professora nos levou. O primeiro acto, é sempre naquela... novidade. No segundo acto, já toda a gente dormia.

Oh, rufferto... é isso que dizes às cadelas quando as andas a conquistar?
Uhm... não sabia que eras dado às poesias.

Ainda assim, a unica quadro que aprecio é do José Régio, que é assim:

"Se vim ao mundo, foi
Para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada,
O mais que faço, não vale nada."
"Sempre que possivel conversa com um saco de cimento... nesta vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto!"
Responder
#5
José Régio era, portanto, um optimista.

Quanto ao FhL, não fui ao teatro... é pena, talvez apanhasse, como apanhou o Focus RS n'Os Maias, o actor que fez a 1ª voz do Vegeta no Dragon Ball Z, a fazer algum papel Smile
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#6
If

If you can keep your head when all about you
Are losing theirs and blaming it on you,
If you can trust yourself when all men doubt you
But make allowance for their doubting too,
If you can wait and not be tired by waiting,
Or being lied about, don't deal in lies,
Or being hated, don't give way to hating,
And yet don't look too good, nor talk too wise:

If you can dream--and not make dreams your master,
If you can think--and not make thoughts your aim;
If you can meet with Triumph and Disaster
And treat those two impostors just the same;
If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools,
Or watch the things you gave your life to, broken,
And stoop and build 'em up with worn-out tools:

If you can make one heap of all your winnings
And risk it all on one turn of pitch-and-toss,
And lose, and start again at your beginnings
And never breathe a word about your loss;
If you can force your heart and nerve and sinew
To serve your turn long after they are gone,
And so hold on when there is nothing in you
Except the Will which says to them: "Hold on!"

If you can talk with crowds and keep your virtue,
Or walk with kings--nor lose the common touch,
If neither foes nor loving friends can hurt you;
If all men count with you, but none too much,
If you can fill the unforgiving minute
With sixty seconds' worth of distance run,
Yours is the Earth and everything that's in it,
And--which is more--you'll be a Man, my son!
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#7
De vez em quando lá te lembras de uns que escrevem bem.

Esse moço da terra dos trevos escrevia relamente muito bem.


Até o epitáfio dele, que vem na última linha de uns últimos poemas que escreveu, era de mestre

"Cast a cold eye on life, on death; horseman, pass by!"
There's no stoppin' what can't be stopped, no killin' what can't be killed. You can't see the eyes of the demon, until him come callin'...
Responder
#8
Todos se lembram do "O Captain! my Captain!" no Clube dos Poetas Mortos, mas quantos conhecem o poema de onde isso vem?


O Captain! my Captain! our fearful trip is done;
The ship has weather'd every rack, the prize we sought is won;
The port is near, the bells I hear, the people all exulting,
While follow eyes the steady keel, the vessel grim and daring:
But O heart! heart! heart!
O the bleeding drops of red,
Where on the deck my Captain lies,
Fallen cold and dead.

O Captain! my Captain! rise up and hear the bells;
Rise up--for you the flag is flung--for you the bugle trills;
For you bouquets and ribbon'd wreaths--for you the shores a-crowding;
For you they call, the swaying mass, their eager faces turning;
Here Captain! dear father!
This arm beneath your head;
It is some dream that on the deck,
You've fallen cold and dead.

My Captain does not answer, his lips are pale and still;
My father does not feel my arm, he has no pulse nor will;
The ship is anchor'd safe and sound, its voyage closed and done;
From fearful trip, the victor ship, comes in with object won;
Exult, O shores, and ring, O bells!
But I, with mournful tread,
Walk the deck my Captain lies,
Fallen cold and dead.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#9
Toda a gente sabe que esse poema é desse moço conhecido como Walt Whitman.
There's no stoppin' what can't be stopped, no killin' what can't be killed. You can't see the eyes of the demon, until him come callin'...
Responder
#10
Khorazyn Escreveu:Toda a gente sabe que esse poema é desse moço conhecido como Walt Whitman.

Ainda para mais porque eu pus o nome dele no título. Tongue
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#11
Não tinha lido essa parte. Serve apenas para reiterar o facto de que ele realmente se chama Walt Whitman.
There's no stoppin' what can't be stopped, no killin' what can't be killed. You can't see the eyes of the demon, until him come callin'...
Responder
#12
"Todas nós temos na vida uma ilusão mais querida, ilusão de amor.
Uma esperança mais extremosa, um sonho cor-de-rosa, perturbador.
Também eu vivo a sonhar e vejo-me a passar entre a multidão,
quando um dia eu me casar, saindo com o meu par, cheia de emoção.
Pombas lindas às centenas, vejo-as esvoaçar pelo azul do céu.
Da cor das açucenas e do meu véu.
Julgo às vezes que é verdade e chego a acreditar que o bom Deus o quis,
que o meu sonho é realidade e que eu vou ser feliz.
Tem tantos encantos, sonhar castelos no ar.
Dormir e não despertar, quem dera!
Viver no falso ideal de uma quimera.
Passar a vida...
...a sonhar!
Logo após o casamento, eu sonho aquele momento ideal p'ra nós.
Em que iremos enlaçados, meigos namorados, p'ra longe a sós.
Num ambiente de ventura, de paz, de frescura e de solidão,
entre sombras de arvoredo, um beijo dado a medo, imagino então.
O aroma embriagador da primavera em flor, embalsama o ar,
nesse jardim de amor que vejo a sonhar.
E ele, o meu apaixonado, eu vejo-o ajoelhado bem junto a mim,
confessando-me enlevado...
...uma paixão sem fim.
Tem tantos encantos, sonhar castelos no ar.
Dormir e não despertar, quem dera!
Viver no falso ideal de uma quimera.
Passar a vida...
...a sonhar!"

Do Galhardo e do Serrão, acho eu...
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#13
Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou nao chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.

Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada.
Antigamente tinhamos tanto para dar um ao outro;
era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes.
E eu acreditava.
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.

Mas isso era no tempo dos segredos,
era no tempo em que o teu corpo era um aquário,
era no tempo em que os meus olhos
eram realmente peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.

Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor,
já não se passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coracão.

Não temos já nada para dar.
Dentro de ti
não há nada que me peça água.
O passado e inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#14
Esta thread apresenta grande facilidade em ser vítima de "post whoring": é só transcrições...

Mas, vendo bem, nenhum de vós apresenta qualidade suficiente nos poemas para aqui os escrever 8)
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder
#15
A relationship is like a rose, How long it lasts, no one knows;
Love can erase an awful past, Love can be yours, you'll see at last;
To feel that love, it makes you sigh, To have it leave, you'd rather die;
You hope you've found that special rose, 'Cause you love and care for the one you chose.
[Imagem: indiaslb1mj1o.gif]
Responder
#16
Também tu,
também tu suspiras,
por águas que lavem,
o pranto, as feridas,
e se possível o mundo.

Suspiras, e ardes,
e contigo arde o ar.
Felizes os anjos:
em vez de suspiros
ouvem-te cantar.
"I have no answers for you, vermin. Only scorn!"
- The Vyro-Ingo, "Star Control 3"
Responder


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico: Autor Respostas: Visualizações: Última Mensagem
  Má poesia Dehumanizer 10 4,242 15-02-2013, 10:52
Última Mensagem: Dehumanizer
  Poesia - Bored of the Rings Dehumanizer 3 3,792 28-06-2005, 07:47
Última Mensagem: Dehumanizer

Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)